Acordo de comércio livre é obervado pelo Reino Unido com os países do Conselho de Cooperação do Golfo no futuro, Ministro do Reino Unido diz à WAM

DUBAI, 10 de fevereiro, 2019 (WAM) - Rt Hon Liam Fox, Secretário de Estado do Reino Unido para o Comércio Internacional, disse que o Reino Unido tem fortes relações comerciais com os países do GCC e está ansioso para ter um acordo de comércio livre com o bloco no tempo certo.

Ele também disse que a Cúpula Mundial do Governo é muito indicativa dos Emirados Árabes Unidos cada vez mais voltados para o exterior.

"É ainda uma nova aplicação da visita papal que acho que enviou uma mensagem muito forte sobre a tolerância. E esta cúpula vem para enviar uma mensagem muito boa sobre governança e sobre a importância da boa governança", disse Rt Hon Liam Fox para a Agência de Notícias dos Emirados Árabes, WAM, à margem da 7ª Cúpula Mundial do Governo, que começou hoje em Dubai.

Fox destacou a importância central que o Reino Unido está pagando por suas relações com os EAU em particular e com a região do GCC em geral, particularmente após o Brexit, refutando todas as alegações de que o Brexit possa ter um impacto negativo no ambiente de investimentos na Grã-Bretanha.

"Apesar das questões políticas em torno do Brexit, no ano passado tivemos um aumento de 20% no IDE apenas atrás da China e dos EUA e à frente de qualquer outro país da UE. Isso porque nossos fundamentos são muito fortes e temos o nível mais alto de emprego que já tivemos Há muita confiança na economia do Reino Unido e vamos continuar a encontrar mais parceiros em todo o mundo ", disse o ministro.

Fox observou que os EAU são um parceiro fundamental para o Reino Unido. "Precisamos ter um relacionamento estratégico mais profundo. Não deve ser apenas sobre venda e compra, mas sobre sermos parceiros.

"Estamos ansiosos para abordar os problemas comuns e ter soluções coletivas. Estamos ansiosos para ter parcerias eficazes nas áreas de InfoTech, AI e ciências da vida, bem como fazer uso da experiência do Reino Unido em educação, habilidades e treinamento vocacional".

Ele acrescentou que há espaço para mais melhorias nas relações em áreas como serviços, manufatura e Fintech.

"Não vemos isso como uma atividade econômica transacional, mas como uma parceria para o futuro. Não vemos os Emirados como um único país, mas como uma ponte para um mercado mais amplo.

No cenário global, o Ministro atribuiu a atual desaceleração das taxas de crescimento global à desaceleração econômica na China.

"As importações chinesas caíram 8% no último trimestre, o que teve um grande impacto nas exportações de outros países do mundo, como a Alemanha, por exemplo. A tensão comercial entre a China e os EUA tem um grande impacto. Precisamos melhorar o ambiente comercial global. A economia enfrenta este ano ventos contrários que não enfrentou no ano passado. Numa economia muito interdependente, um choque em uma parte afetará outras partes do mundo. "

Trad. por Nadia Allim.

http://wam.ae/en/details/1395302738342

WAM/Portuguese