Ciberataques regionais aumentam exponencialmente, afirma especialista

Vídeo Imagem

ABU DHABI, 11 de setembro de 2019 (WAM) - Um especialista na segurança cibernética disse que os ataques cibernéticos e violações de infraestrutura crítica no Oriente Médio estão aumentando exponencialmente, alavancados por atores que desejam flexibilizar seu domínio na região.

O vice-presidente sênior de serviços gerenciados da Darkmatter, Eric Eifert, disse que a região está crescendo tremendamente em termos de inovação e novas tecnologias que estão fora do setor de petróleo e gás. "Vemos aumentos no investimento em energia renovável - solar e eólica" e, como resultado, "estamos vendo adversários globalmente desejando atingir essa propriedade intelectual" para usá-la para espionagem econômica.

"A região é muito interessante, pois existem vários atores de ameaças que têm boas capacidades do ponto de vista de ataques cibernéticos", disse o representante Darkmatter à Agência de Notícias Emirates, WAM.

Um relatório divulgado recentemente pela empresa de segurança cibernética destaca a espionagem e a sabotagem como duas principais técnicas utilizadas para buscar acesso ilícito a credenciais e informações de identificação pessoal para facilitar ataques subsequentes.

Esses ataques podem afetar a infraestrutura crítica, explicou, observando que diferentes adversários desejam atingir a infraestrutura usando ataques cibernéticos como uma "aposta para ataques destrutivos". Ele citou, por exemplo, o incidente da Saudi Aramco em que os sistemas de computadores foram fisicamente destruídos e tiveram que ser substituídos.

Esses ataques também têm um impacto operacional nos recursos de infraestrutura, resultando em uma redução na produção e distribuição, continuou Eifert. Um golpe em qualquer uma dessas atividades críticas de infraestrutura pode atrapalhar o setor e prejudicar a economia.

O Relatorio Darkmatter Cyber ​​Security, lançado em junho deste ano, observa que metade de todos os ataques cibernéticos no Oriente Médio tem como alvo o setor de petróleo e gás, com cerca de 75% das empresas regionais de petróleo e gás com seu ambiente de tecnologia operacional comprometido.

"O que estamos vendo é que esses vetores de ataque estão sendo aproveitados tanto para ganhar posição em certas infraestruturas críticas quanto como uma espécie de pré-posicionamento para uma escalada de tensões - onde eles podem usá-lo como um mecanismo para interromper o governo ou interromper críticas infra-estrutura ", ou mesmo como meio para os atores" flexionarem seu poder ou domínio na região ", observou Eifert.

Ele alertou que essas ações podem ter um impacto "catastrófico" na região, acrescentando que elas podem até ser utilizadas como um meio de "influenciar a política dentro de outro país", enquanto utilizam metodologias para influenciar a população local, bem como perspectivas globais sobre a região.

Comentando sobre o impacto econômico que esses ataques podem ter, Eifert disse: "Estamos falando em bilhões, senão trilhões de dólares. Qualquer coisa que possa impactar a produção e a distribuição, apenas do ponto de vista operacional, é tremendo".

Ele explicou que, se uma turbina a gás sofreu um ataque cibernético, levaria de quatro a cinco anos para substituir esse ativo. Ele acrescentou que isso não apenas tem um impacto monetário direto, mas também implica uma perda de reputação, onde a confiança do cliente nas instituições também é comprometida.

"Minha maior preocupação é qualquer coisa que afete a humanidade, a saúde e o bem-estar da população humana", enfatizou Eifert, acrescentando que os ataques cibernéticos "podem ter um efeito drástico no nosso modo de vida".

O representante da Darkmatter disse que o setor de segurança cibernética agora está criando as tecnologias certas que fornecem visibilidade para entender os riscos e ameaças decorrentes dos ataques cibernéticos. "O que os governos e outras partes interessadas precisam entender é que existe uma ameaça credível por aí, e veremos coisas como o incidente ucraniano em que o fornecimento de energia ucraniana caiu por várias horas no inverno ".

Trad. por Nadia Allim.

http://wam.ae/en/details/1395302785708

WAM/Portuguese