Quinta-feira 09 Julho 2020 - 6:51:51 am

Cingapura será 'cidade-estado de 45 minutos sem promover carros elétricos': Ministro do Meio Ambiente


Por Binsal Abdulkader ABU DHABI, 11 de fevereiro de 2020 (WAM) -- Cingapura não promoverá carros elétricos à custa do transporte público, o que melhor resolve o congestionamento do tráfego rodoviário, de acordo com um alto funcionário de Cingapura.

"Em Cingapura, em termos holísticos, o transporte público não se destina apenas a reduzir a poluição e as emissões de carbono, mas também a reduzir o congestionamento rodoviário", disse Masagos Zulkifli, ministro do Meio Ambiente e Recursos Hídricos de Cingapura, à Agência de Notícias dos Emirados, WAM.

"Queremos manter nossas estradas sempre livres para a circulação de bens e serviços essenciais", disse ele em entrevista exclusiva durante sua recente visita a Abu Dhabi.

Nossa abordagem não se concentra nos carros elétricos, embora eles produzam menos poluição e usem menos energia", afirmou. Nosso objetivo é proporcionar uma boa rede de transporte público, que seja acessível e conveniente para as pessoas".

O estado da ilha-cidade já anunciou planos ambiciosos para expandir a sua eficiente rede de transporte público. Singapura pretende aumentar a sua rede de trânsito rápido em massa, MRT, de 200 km para 360 km até 2030.

Oito em cada dez casas estarão a menos de 10 minutos a pé de uma estação ferroviária de MRT. Também estão a ser instalados comboios e autocarros adicionais nas frotas. A rede de ciclovias será duplicada para mais de 700 km até 2030, de acordo com o plano.

"Queremos fazer de Cingapura uma cidade-estado de 45 minutos; isso significa que a maioria das viagens de período de pico de casa ao local de trabalho não levará mais do que 45 minutos durante as horas de pico", explicou o ministro.

Portanto, ele acredita que as pessoas escolherão o transporte público em vez dos carros".

Seja ele elétrico ou não elétrico, é um carro [causando congestionamento de trânsito]". Portanto, nossa abordagem ao transporte é permitir que o transporte público seja a primeira escolha e a alternativa de estilo de vida", disse ele.

Se há alguma cidade no mundo onde se possa reduzir o crescimento da propriedade de veículos particulares, ela seria Cingapura". Nos últimos anos, o crescimento da propriedade de veículos particulares tem sido zero por cento".

Ao perguntar se Cingapura dará algum incentivo aos carros elétricos, ele respondeu: "Estamos neste momento agnósticos sobre carros elétricos; queremos reduzir o crescimento da propriedade de carros particulares".

Sobre a taxa de carbono introduzida no ano passado em Cingapura, a primeira no Sudeste Asiático, ele disse que seriam investidos US$ 1 bilhão a serem arrecadados nos próximos cinco anos para inovações destinadas a reduzir as emissões de carbono.

"Não há isenção para nenhum setor quando se trata do imposto de carbono". Fizemos sinais às indústrias para reduzir as emissões, já que o imposto pode dobrar ou triplicar até 2030", explicou Zulkifli, que se tornou ministro em 2015.

O imposto de carbono de US$ 5 por tonelada de gás de efeito estufa, GEE, emissões, entrou em vigor em janeiro de 2019. O imposto, que pretende incentivar as indústrias a reduzir as emissões, cobre cerca de 80% do total de emissões de GEE de Cingapura e apoia a transição da cidade para uma economia de baixo carbono.

Zulkifli também está atento aos esforços inovadores dos Emirados Árabes Unidos para a descarbonização.

"Os EAU têm muitas iniciativas inovadoras para substituir os combustíveis fósseis, especialmente na indústria solar fotovoltaica [fotovoltaica]", disse Zulkifli. "Os Emirados Árabes Unidos estão na vanguarda das inovações. Também vamos nos beneficiar de tais iniciativas".

Ambos os países estão cooperando também no setor de segurança alimentar, disse o ministro.

Traduzido por: Mohamed Eid Khedr.

http://wam.ae/en/details/1395302823054

WAM/Portuguese