Quarta-feira 20 janeiro 2021 - 2:19:10 pm

O Palácio de Al Muwaiji É um testemunho do início da renascença dos EAU: relatório

  • 01 (12)
  • 01 (11)
  • 01 (10)
  • 01 (9)
  • 01 (8)
  • 01 (3)
  • 01 (1)
  • 01 (4)
  • 01 (6)
  • 01 (5)
  • 01 (2)
  • 01 (7)
Vídeo Imagem

AL AIN, 2 de Janeiro de 2021 (WAM) -- O Palácio Al Muwaiji, que foi construído no lado oeste de Al Ain, perto do Oásis Al Muwaiji há cerca de 100 anos, é considerado um dos edifícios históricos distintos da cidade.

A construção do palácio representa um elegante exemplo da arquitectura que dependia de tijolos para construir fortes e palácios na altura, enquanto o palácio é considerado parte dos sítios culturais de Al Ain incluídos na Lista do Património Mundial da UNESCO pelo seu excepcional património global.

O Xeque Khalifa bin Zayed bin Khalifa Al Nahyan construiu o palácio nos primeiros anos do século XX durante o reinado do Xeque Zayed bin Khalifa o Primeiro, Governador de Abu Dhabi, onde o palácio se distingue pela sua estrutura quadrada, torres de canto proeminentes e o grande portão de entrada, que foi utilizado como diwan (majlis ou local de governo) para reunir pessoas.

O palácio foi construído numa forma quadrada, com o seu lado medindo 60 metros, numa área total de 3.600 metros quadrados. Está rodeado por um muro defensivo alto, com cerca de cinco metros de altura, sendo a sua espessura na base de 950 milímetros.

O palácio tem três torres principais, algumas das quais dedicadas à habitação e um escritório governamental para gerir os assuntos da região de Al Ain. Fora do palácio, existe uma mesquita cujo desenho é semelhante ao estilo arquitectónico do palácio.

Em 1946, o falecido Sheikh Zayed bin Sultão Al Nahyan mudou-se para o Palácio Al Muwaiji quando assumiu as suas funções como representante do Governante de Abu Dhabi na região de Al Ain. O palácio era um escritório do seu governo e um lar para a sua família.

Omar Salem Al Kaabi, Director dos Museus de Al Ain disse que o Departamento de Cultura e Turismo - Abu Dhabi restaurou e renovou este edifício, para o restaurar como destino turístico patrimonial, contribuindo através da sua posição histórica e cultural para definir a importância do palácio, para ser um museu com padrões internacionais.

Al Kaabi salientou que o palácio possui um conjunto de etapas que podem ser exploradas e apreciadas, começando pelo portão de entrada, onde aparece a parte exterior do castelo e a área circundante. Depois disso, o visitante desloca-se para o pátio da exposição permanente rodeado por maravilhosas paredes de vidro no pátio do palácio.

O visitante pode aprender sobre a história do palácio e sobre aqueles que nele viveram. Também fornece uma cronologia da vida dos membros da família dominante em Abu Dhabi e a sua estreita relação com o Palácio Al Muwaiji, através de uma colecção de fotografias raras que narram momentos da viagem de desenvolvimento do país.

Acrescentou que a exposição demonstra a vida e os feitos do Presidente Sua Alteza Xeque Khalifa bin Zayed Al Nahyan, enquanto o visitante pode ver alguns dos pertences no palácio.

O Director dos Museus de Al Ain indicou que o palácio recebe visitantes durante todo o ano, de sábado a quinta-feira. Haverá uma oportunidade de aprender muito sobre os aspectos especiais da história de Qasr Al Muwaiji, acrescentou ele.

Os visitantes fora do pátio da exposição podem também ver as torres históricas, o pátio do Palácio Al Muwaiji e a Mesquita Al Qasr fora das suas paredes.

Recentemente, o Departamento de Cultura e Turismo - Abu Dhabi (DCT Abu Dhabi) anunciou a reabertura da icónica torre noroeste em Qasr Al Muwaiji em Al Ain.

A restauração da torre noroeste fez parte das obras finais de restauração que estão a ser realizadas no palácio de Al Muwaiji.

Durante as primeiras fases da restauração do palácio, verificou-se que a torre do Noroeste continha áreas residenciais habitáveis. Estas foram utilizadas pelo falecido xeque Zayed bin Sultão Al Nahyan como residência principal da sua família, uma vez que a área era muito maior em comparação com a torre do nordeste.

A arquitectura tradicional da torre permitia temperaturas frescas e agradáveis nos quartos, com o andar superior com janelas grandes e únicas que apanhavam a vento e inundavam a área com luz.

Traduzido por: Mohamed Eid Khedr.

http://www.wam.ae/en/details/1395302899064

WAM/Portuguese