Domingo 11 Abril 2021 - 6:01:05 am

Pesquisadores da NYU Abu Dhabi desenvolvem materiais para a entrega oral de medicação de insulina

  • nyu1.jfif
  • nyu.jfif

ABU DHABI, 7 de abril de 2021 (WAM) -- Uma tecnologia revolucionária desenvolvida dentro do Trabolsi Research Group na NYU Abu Dhabi (NYUAD) poderia melhorar drasticamente o bem-estar de pacientes diabéticos através de uma maneira simples e direta: um sistema de administração oral de insulina que poderia substituir as injeções subcutâneas tradicionais sem os efeitos colaterais causados pela injeção freqüente.

Usando camadas preparadas de nanoquetas com insulina carregada entre camadas para protegê-la, os pesquisadores desenvolveram nanopartículas de estrutura orgânica gastro-resistente imina-covalente (nCOFs) que exibiam proteção de insulina no estômago e também em indivíduos de teste diabéticos cujos níveis de açúcar voltaram completamente ao normal dentro de duas horas após a ingestão das nanopartículas. Liderados pelo cientista de pesquisa Farah Benyettou da NYUAD e Chefe do Programa de Química Ali Trabolsi, os resultados foram publicados hoje na Chemical Science.

Em comparação com as duas tecnologias aprovadas pela FDA (Food and Drug Administration) dos EUA para o fornecimento oral de insulina, o sistema desenvolvido na NYUAD é biocompatível, altamente estável no estômago, específico e capaz de fornecer a quantidade certa de insulina com base nos níveis de açúcar no sangue do indivíduo diabético. Este tratamento representa um passo adiante no tratamento desta doença que é a sétima principal causa de morte em todo o mundo.

"Nosso trabalho supera as barreiras de fornecimento oral de insulina usando nanopartículas de nCOF carregadas de insulina que exibem proteção de insulina no estômago, bem como uma liberação que responde ao glucose-resposta", disse Benyettou.

"Esta tecnologia responde rapidamente a uma elevação do açúcar no sangue, mas se desligaria prontamente para evitar uma overdose de insulina e melhorará drasticamente o bem-estar dos pacientes diabéticos em todos os Emirados Árabes Unidos e em todo o mundo", acrescentou ela.

O desenvolvimento deste tratamento foi em colaboração com uma equipe internacional de pesquisadores da Argélia, Espanha, Arábia Saudita e Reino Unido. O projeto foi concluído com a ajuda da tecnologia da plataforma principal da NYUAD. Um pedido de patente dos EUA está pendente para esta tecnologia inovadora.

Trad. por Nadia Allim.

http://www.wam.ae/en/details/1395302925067

WAM/Portuguese