Quinta-feira 18 Agosto 2022 - 12:38:24 pm

Bahrein se une à Parceria Industrial para o Desenvolvimento Econômico Sustentável na segunda reunião do Comitê Superior no Cairo


CAIRO, 25 de julho de 2022 (WAM) -- A segunda reunião do Comitê Superior da Parceria Industrial para o Desenvolvimento Econômico Sustentável teve início no Cairo na presença da Dra. Nevin Gamea, Ministra do Comércio e Indústria do Egito, Dr. Sultan bin Ahmed Al Jaber, Ministro da Indústria e Tecnologia Avançada, e Yousef Al Shamali, Ministro da Indústria, Comércio e Abastecimento da Jordânia.

Na reunião, o Comitê Superior anunciou e deu as boas-vindas ao Reino do Bahrein como um novo membro da parceria, representado por Zayed bin Rashid Alzayani, Ministro da Indústria e Comércio do país.

O Bahrein, um importante produtor de alumínio bruto e minério de ferro, aumentará o valor agregado total da fabricação industrial da parceria de $106,26 bilhões para $112,5 bilhões. O Bahrein possui um forte setor industrial com mais de nove mil empresas e 55 mil empregados e US$ 4,3 bilhões em investimentos industriais diretos estrangeiros.

A parceria tem como objetivo estabelecer grandes projetos industriais conjuntos, criar oportunidades de emprego, contribuir para aumentar a produção econômica, diversificar as economias dos países parceiros, apoiar a produção industrial e aumentar as exportações.

O Comitê Superior também analisou uma apresentação do Comitê Executivo, feita por Abdullah Al Shamsi, subsecretário adjunto, Crescimento Industrial, no Ministério da Indústria e Tecnologia Avançada, Dana Alzoubi, secretária-geral do Ministério da Indústria e Abastecimento da Jordânia, assim como Hatem Alashry, conselheiro do Ministro da Indústria egípcio e chefe do Comitê Executivo.

Como resultado, 12 projetos no valor de US$ 3,4 bilhões foram selecionados e passarão para a fase de estudos de viabilidade. No total, o Comitê Executivo recebeu 87 propostas de projetos industriais focados em fertilizantes, agricultura e alimentos. Na próxima fase, a parceria focará nos setores de metais, produtos químicos, plásticos, têxteis e vestuário.

A delegação também incluiu a embaixadora dos Emirados no Egito, Maryam Al Kaabi, Embaixadora da Jordânia no Egito, Amjad Al-Adayla, e o Embaixador do Reino do Bahrein no Egito, Dr. Khaled Fahad Alalawi, assim como Hisham bin Mohammed Al-Jowder, subsecretário assistente de Desenvolvimento Industrial do Ministério da Indústria e Comércio do Bahrein e Mohamed Hassan Al Suwaidi, diretor administrativo e CEO da ADQ, entre outros.

Em suas observações, a Dra. Nevin Gamea destacou a importância da parceria industrial para enfrentar as consequências econômicas das crises globais. Destacou também a importância do engajamento do setor privado no desenvolvimento sustentável para o mundo árabe.

"Esta parceria é fundamental para assegurar as cadeias de valor e abastecimento, alcançar a autossuficiência industrial e criar mais empregos", disse. Acrescentou ainda que a parceria dá as boas-vindas ao Bahrein que, segundo ela, ajudará a maximizar os benefícios das capacidades industriais dos quatro países. Gamea declarou ainda que "os parceiros devem trocar conhecimentos científicos e tecnológicos, estabelecer parcerias industriais e aproveitar os mercados dos parceiros para promover o comércio multilateral" para fazer uso da iniciativa. Concluiu dizendo que "o governo do Egito está muito interessado em fazer o que for preciso para apoiar essa parceria e abrir caminho para que possa atingir suas metas".

Enquanto isso, Yousef Al Shamali afirmou que "a reunião de hoje é uma continuação das reuniões do Comitê Executivo realizadas nos últimos dois dias e uma culminação de semanas de workshops setoriais de especialistas nas áreas de produtos farmacêuticos, agricultura, fertilizantes e alimentos". Ele observou que esse progresso foi alcançado dois meses após o lançamento da parceria em Abu Dhabi.

A Jordânia, destacou Al Shamali, está interessada em apoiar todos os aspectos do trabalho árabe conjunto, conforme instruído pelo rei Abdullah II. E o encontro, de acordo com ele, mostra como os líderes dos três países compartilham uma visão comum sobre unir esforços para criar um projeto econômico abrangente. "A reunião ressaltou os laços políticos e econômicos que unem nossas nações e abre uma nova era de ação conjunta e integração econômica eficaz com impactos tangíveis", acrescentou o ministro, que mencionou que a adesão do Bahrein à parceria dará um impulso à iniciativa, acelerando o ritmo para alcançar a desejada integração econômica.

Dr. Sultan Al Jaber destacou o compromisso dos Emirados com a parceria, dizendo que "a visão do Presidente Sua Alteza Xeique Mohamed bin Zayed Al Nahyan enfatiza o papel da cooperação, da colaboração, das sinergias e da integração como elementos-chave para o desenvolvimento econômico e o crescimento que sustentam a estabilidade e a prosperidade". Seguiu dizendo que o objetivo é de "aproveitar os pontos fortes combinados da parceria, as vantagens competitivas e as capacidades para ajudar a construir uma base sólida para o crescimento econômico sustentável". Al Jaber chamou a entrada do Bahrein de "uma adição vital e dinâmica à parceria" ao dizer que o setor industrial do país tem papel importante no desenvolvimento econômico sustentável. Agradeceu ainda à República Árabe do Egito por sediar a reunião e falou em futuro. "Estamos ansiosos para revisar esses projetos conjuntos e avaliar os próximos passos necessários de empresas do setor privado, agências governamentais e órgãos de apoio para garantir a viabilidade dos projetos para garantir a rápida implementação", disse Al Jaber. 

O Ministro emiradense também fez um pedido. "Peço às empresas que aproveitem as vantagens competitivas e oportunidades de parceria disponíveis em cada uma das nações participantes e conduzam seus próprios estudos de viabilidade para maximizar as chances de sucesso de seus projetos", afirmou. Relatou que "como agências governamentais, devemos identificar os principais facilitadores que esses projetos exigem para ter sucesso e fazer tudo o que estiver ao nosso alcance para ajudar as empresas a superar os obstáculos potenciais" - e garantiu que o suporte para garantir que as empresas industriais possam ter confiança em investir e implementar projetos bem-sucedidos será oferecido. "Essa combinação de apoio governamental com compromisso do setor privado ajudará a parceria alcançar o máximo de benefícios econômicos e sociais sustentáveis", pontuou.

Al Jaber concluiu dizendo que "a Parceria Industrial para o Desenvolvimento Econômico Sustentável está aberta a qualquer parte que deseje contribuir para o desenvolvimento do setor industrial, promover a integração entre indústrias e alavancar as vantagens competitivas oferecidas pelos Emirados Árabes Unidos, Egito, Jordânia e agora Bahrein". E prometeu que "nossos esforços combinados e trabalho em equipe melhorarão o desenvolvimento das empresas e países envolvidos nesta parceria, reduzindo custos, protegendo as cadeias de suprimentos, criando mais empregos, aumentando a autossuficiência, planejando o futuro e aplicando a mais recente tecnologia."

Bahrein e a parceria

Em seu discurso, Zayed Alzayani transmitiu as saudações de Sua Alteza Real o Príncipe Salman bin Hamad Al Khalifa, Príncipe Herdeiro e Primeiro-Ministro do Bahrein, e sua estima pela admissão do Reino à parceria. Ele explicou que a a união reflete uma forte vontade de promover a integração industrial entre os países árabes e o mundo, ao mesmo tempo em que busca alcançar o desenvolvimento industrial sustentável. Isso se alinha às visões e aspirações de Sua Majestade o Rei Hamad bin Isa Al Khalifa, Rei do Bahrein, para melhorar o desenvolvimento econômico e criar novas oportunidades.

Alzayani comentou que o Reino do Bahrein tem alcançado sucesso e crescimento contínuo no setor industrial nas últimas décadas. "Isto é resultado das políticas adotadas pelo governo desde os anos 60, que visavam reduzir a dependência do petróleo e do gás natural, e diversificar o setor industrial através da instalação de fábricas nos campos como o do alumínio", lembrou. "Isso além de estabelecer novas zonas industriais e atrair investimentos estrangeiros, incentivando projetos industriais e fornecendo a infraestrutura necessária”, explicou.

Zayed Alzayani afirmou também que com o objetivo de avanços no setor industrial, o governo lançou a Estratégia do Setor Industrial (2022-2026) em dezembro de 2021, como parte do plano de recuperação econômica pós-pandemia. "A estratégia visa aumentar a contribuição do setor industrial para o PIB, aumentar as exportações e proporcionar empregos para os cidadãos", informou. Alzayani seguiu dizendo que "a estratégia se baseia na adoção da Quarta Revolução Industrial, implementando o conceito de uma economia circular de carbono junto com políticas efetivas de governança ambiental e social, incentivando o investimento em infraestrutura tecnológica e automação da manufatura, e aumentando a eficiência das cadeias de abastecimento para construir uma indústria desenvolvida e sustentável."

O Ministro do Bahrein concluiu falando que "através desta estratégia, visamos uma série de indústrias relevantes para os setores incluídos nesta parceria" e que o país acredita "que isto proporciona oportunidades de crescimento e prosperidade para as indústrias de manufatura nos setores de alumínio e petroquímico, além das indústrias que incluem energia renovável e hidrogênio verde e azul, que apóiam o compromisso do Bahrain de alcançar neutralidade de carbono até 2060, juntamente com as indústrias alimentícias, farmacêuticas e microeletrônicas".

A segunda reunião do Comitê Superior da Parceria Industrial para o Desenvolvimento Econômico Sustentável aprovou o guia de adesão da Parceria junto com a ata da primeira reunião do Comitê. Também foram apresentados relatórios sobre os setores agrícola, alimentício, de fertilizantes, farmacêutico, têxtil, vestuário e metais, enquanto os CEOs das empresas industriais ofereceram seus conhecimentos.

Em 2019, Emirados, Egito, Jordânia e Bahrein foram responsáveis por 30% da contribuição industrial do Oriente Médio e do Norte da África ao PIB, totalizando US$ 65 bilhões de exportações industriais. A população total dos países é de 122 milhões, representando 27% do Oriente Médio e Norte da África e 49% da população jovem da região com menos de 24 anos.

O valor do investimento estrangeiro direto nos Emirados Árabes Unidos, Egito e Jordânia atingiu US$ 151 bilhões entre 2016-2020, compreendendo 42% dos novos investimentos estrangeiros diretos no Oriente Médio. O valor total das exportações dos países foi de US$ 433 bilhões em 2019, enquanto as importações atingiram aproximadamente US$ 399 bilhões.

A adição do Bahrein, que tem um PIB de US$ 39 bilhões, melhorará muito a Parceria e contribuirá significativamente para seus resultados. Espera-se que a parceria aumente o PIB dos países membros em US$ 809 bilhões, liberando oportunidades avaliadas em bilhões entre setores, incluindo US$ 1,7 bilhão no setor alimentício e agrícola, US$ 4 bilhões no setor mineral, US$1,7 bilhão em produtos químicos e plásticos, e US$ 500 milhões em produtos médicos.

Desde 1975, o Bahrein tem investido fortemente em seu setor industrial como parte de seus esforços para aumentar a diversificação econômica. O país estabeleceu novas zonas industriais e também trabalhou para atrair investimentos estrangeiros, incentivando e promovendo projetos industriais. O setor industrial do Bahrein é apoiado por importantes indústrias locais, incluindo petroquímicas, plásticos, fundição de alumínio, processamento de alimentos, têxteis, engenharia, reparação naval, granulação de ferro, fabricação de fertilizantes e um setor bancário vibrante.

O Bahrein exporta produtos metálicos no valor de US$ 4 bilhões anualmente e permite a plena propriedade estrangeira no setor industrial. E é um centro operacional competitivo na região do Golfo Arábico. Mina Salman, um porto na capital de Manama, é caracterizado por suas operações de carga, embarque e exportação e importação de classe mundial.

trad.nadia allim.

https://wam.ae/en/details/1395303069051

WAM/Portuguese