Quarta-feira 19 janeiro 2022 - 2:40:47 am

Investidores do GCC compram 1% dos títulos emitidos pela UE para a recuperação da Europa: oficial

Vídeo Imagem

ABU DHABI, 13 de janeiro de 2022 (WAM) -- A Comissão Européia espera atrair mais investidores e instituições financeiras do GCC para financiar seu programa NextGenerationEU de 800 bilhões de euros, do que o atual 1%, disse Johannes Hahn, Comissário da UE para Orçamento e Administração.

A NextGenerationEU é um instrumento temporário de recuperação para ajudar a Europa a reparar os danos econômicos e sociais imediatos causados pela pandemia da COVID-19. Seu foco é direcionar investimentos principalmente para a transição verde e a digitalização a partir de agora até o final de 2026.

Desde junho de 2021, a Comissão Européia lançou cinco emissões e levantou cerca de 71 bilhões de euros em títulos da UE de longo prazo, e títulos da UE de curto prazo.

"Tenho que admitir que o engajamento da região [GCC] ainda está abaixo de nossas expectativas". Até agora, a participação em todas essas emissões [de investidores e instituições financeiras do GCC] é de cerca de um por cento. Há muito mais potencial, pois estamos compartilhando os mesmos interesses", disse Hahn, que estava em uma viagem de negócios aos Emirados Árabes Unidos, à Agência de Notícias dos Emirados Árabes Unidos (WAM).

O Comissário da UE explicou que uma potencial falta de conhecimento sobre a União Européia e como ela funciona, e suas tarefas e legislações poderiam ser a razão por trás da resposta lenta. Entretanto, "compartilhar a mesma avaliação e opiniões" quando se trata de mudança climática e a necessidade de transição verde pode ser uma força motriz para atrair mais investidores da região do Golfo.

"Conversando com colegas e parceiros pelo menos por enquanto aqui nos EAU, há um enorme interesse em títulos verdes e transição verde", explicou Hahn.

"Acho que os países do GCC vão de mãos dadas com a UE para dar o exemplo, para investir na transição verde", enfatizou ele, acrescentando que este pode ser um negócio muito lucrativo com pelo menos 2 milhões de empregos a serem criados em toda a Europa até 2026 por causa do programa.

"Trata-se do futuro dos investimentos sustentáveis e aqui na região do Golfo, eles têm abordagem e compreensão semelhantes". É por isso que devemos unir forças".

Em 12 de outubro de 2021, a Comissão Européia emitiu seu primeiro título verde NextGenerationEU de sempre, levantando um total de 12 bilhões de euros que serão usados para financiar investimentos verdes e sustentáveis em todos os membros da UE.

"O dinheiro que levantamos foi de longe a maior quantidade de títulos verdes sendo levantada em uma emissão global", disse Hahn, acrescentando que a Comissão pretende levantar pelo menos 250 bilhões de euros em títulos verdes do total de 800 bilhões de euros até o final de 2026.

Ele também destacou o papel-chave dos EAU na transição verde como anfitrião da COP28 em 2023.

"Não é por acaso que os EAU serão os anfitriões da COP28 em 2023. Para isso, também discutimos uma cooperação mais estreita. Concordamos sobre todas as metas climáticas, mas agora devemos nos concentrar em como atingir essas metas", disse o Comissário da UE.

"Isso só é possível se todos nós [os atores globais] investirmos na transição verde".

Uma das metas da UE é fazer da Europa o primeiro continente neutro em relação ao clima até 2050. Enquanto isso, a resposta dos EAU à mudança climática é descarbonizar sua economia e atingir emissões líquidas zero até 2050.

De acordo com Hahn, o pacote de 800 bilhões de euros da NextGenerationEU, combinado com o Quadro Financeiro Plurianual da UE (2021-2027) de 1,2 trilhão de euros, verá investimentos de pelo menos 30% em projetos verdes e 20% na digitalização.

Quando perguntado sobre o impacto do Brexit nas finanças da UE, Hahn disse que ele teve um impacto "significativo", pois o Reino Unido foi a segunda maior economia e um contribuinte líquido para o orçamento.

"É realmente uma perda significativa, e certamente está prejudicando nosso desempenho geral", disse ele, antecipando, entretanto, que as coisas deveriam melhorar e que ambos os lados deveriam retornar às boas relações de vizinhança em breve.

Enquanto isso, a Reserva Federal dos EUA anunciou que poderá aumentar as taxas de juros este ano para enfrentar a inflação. Quando perguntado se esta política pode afetar o programa de financiamento da Europa, o Comissário da UE descartou que "pelo menos a curto ou médio prazo".

"Temos que ver como as coisas evoluem". Mas, em geral, acho que não terá um grande impacto, pelo menos a curto e médio prazo, por exemplo, em nosso programa de emissão de títulos e na atratividade dos mesmos", disse ele.

Trad. por Nadia Allim.

wam.ae/en/details/1395303010682

WAM/Portuguese